Mês: Outubro 2015

Sinais de fumo

Numa tisana, para aromatizar um arroz ou acender o lume, a carqueja tem várias utilizações. O nariz é o primeiro a notar a diferença quando é usada, bem seca, para atear as chamas da fogueira. Um odor suave surge pouco antes do fogo que obriga a fechar a porta da salamandra. Tudo é diferente neste arbusto espinhoso que foi sendo apanhado nos passeios pela serra nos dias mais frios. As acendalhas são furiosas, raivosas, cheiram mal. A pinha prolonga o tempo, resiste, eleva a chama bem alto ao sabor da resina. A carqueja é delicada e efémera, deixa atrás de si um odor a floresta antiga e folhas crocantes. Durante o inverno atiçou o fogo e aliviou o frio. Entre abril e maio, quando a pterospartum tridentatum se enche de pequenas flores amarelas, é possível fazer arroz de carqueja ou beber uma tisana. Na primavera, durante a floração, tem-se pleno acesso às propriedades medicinais desta planta que, curiosamente, faz parte da família das leguminosas: uma infusão de 30 gramas de flores num litro de água fervida ajuda a tratar gripes, …